Time Brasil de Salto fecha em 5º lugar e 3 brasileiros seguem no individual na Rio 2016

0
648

A equipe brasileira de Salto virou para a final de Salto por equipes nessa quarta-feira, 17, na Rio 2016, sem contar com seu quarto conjunto, Stephan Barcha e Landpeter do Feroleto, desqualificados por um pequeno corte causado pela espora, portanto sem direito ao descarte do pior resultado. Doda Miranda com Cornetto K, Pedro Veniss montando Quabri D´Isle e Eduardo Menezes com Quintol ao final somaram 13 pontos perdidos, uma falta de cada um, mais um ponto por excesso de tempo de Pedro colocando o Brasil no 5º posto geral.

A França foi a grande campeã, com apenas três pontos perdidos nas duas provas, seguida pelos Estados Unidos, com cinco pontos perdidos no total. A Alemanha venceu o Canadá no desempate e ficou com o bronze, somando oito pontos perdidos. Fora do pódio da competição por equipe, os três conjuntos brasileiros disputam nesta sexta-feira, dia 19, ao lado de outros 32 conjuntos, a corrida pela medalha individual, lembrando que a contagem será zerada.

 

Medalha de ouro para a França, após 40 anos de jejum; img: Richard Juilliart/FEI
Medalha de ouro para a França, após 40 anos de jejum; img: Richard Juilliart/FEI

 

A atuação brasileira

Novamente abrindo a pista para o Brasil, Eduardo cometeu apenas uma falta na pista totalizando 8 pontos, o que lhe garantiu o 18º posto entre os Top 35. O cavaleiro que monta Quintol destacou a união da equipe, e o encontro dos cavaleiros antes da prova. “Fiz uma falta na prova de hoje, ainda não entendi como. Hoje foi o dia em que senti o cavalo na melhor forma, de todos os dias no Rio. Muito bem, com muita vontade de saltar. Infelizmente ele tocou no obstáculo mais leve da pista, e acabou derrubando. A nossa equipe sempre se reúne antes das provas, somos um time unido, hoje antes da prova, depois de caminhar pelo percurso, nos reunimos para pedir proteção, inspiração, um ritual de harmonia”, comentou Eduardo.

 

Eduardo Menezes, montando, Quintol, na disputa por equipe, nos Jogos Rio 2016. Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
Eduardo Menezes, montando, Quintol, na disputa por equipe, nos Jogos Rio 2016. Foto: Washington Alves/Exemplus/COB

 

Também com uma falta na saída do triplo nº 11, Doda Miranda avalia como positiva a participação da equipe nos Jogos do Rio, especialmente pela forma física dos cavalos. O cavaleiro, a exemplo de Eduardo e Pedro, se prepara para a disputa de medalhas individuais, com o seu Cornetto K. “A equipe teve um resultado muito bom aqui. É claro que para ser excelente, precisávamos da medalha. Mas fica a sensação de que fizemos o nosso máximo, antes e durante a competição”, destacou Doda. “Tivemos a infelicidade de entrar hoje só com três conjuntos, isso dificulta as coisas. Os nossos cavalos saltaram bem e ainda temos chances na prova de sexta pela medalha individual. A pressão da equipe completa ou não é igual, você sempre entra na pista querendo zerar a prova, para facilitar o trabalho de quem vem depois. Mas a falta custa caro e cada um fazendo uma, pagamos o preço”, lamentou o cavaleiro, medalha de bronze olímpico por equipes em 1996 e 2000.

 

Doda e Corneto K computaram apenas 4 pontos na disputa por equipe; Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
Doda e Corneto K computaram apenas 4 pontos na disputa por equipe; Foto: Washington Alves/Exemplus/COB

 

Pedro entrou na pista com o seu Quabri de L’’Isle precisando zerar o percurso para levar a disputa pelo bronze para o desempate com a Alemanha e o Canadá. O cavaleiro acabou cometendo uma falta na saída do duplo de nº 6 e ultrapassou o tempo da prova, somando cinco pontos a mais para a equipe brasileira. “Não foi um bom dia, nós realmente acreditávamos que podíamos ganhar uma medalha aqui hoje, chegamos perto mas não conseguimos. Agora precisamos levantar a cabeça e voltar bem para a disputa individual. Essa torcida merece uma medalha. Desde ontem, quando eu também entrei por último, já precisava chegar com o zero, e não deu no duplo. Estivemos aqui brigando pela medalha até o final, estamos tristes, mas estivemos bem, a briga foi entre os melhores. Agora vamos os três, eu, Doda e Eduardo, para a final individual e vamos lutar por essa medalha”, destaca Pedro.

Pedro Veniss com Quabri De L'Isle seguem para a disputa individual; Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
Pedro Veniss com Quabri De L’Isle seguem para a disputa individual; Foto: Washington Alves/Exemplus/COB

 

Na manhã da sexta-feira, 19, os 35 melhores (máximo de 3 conjuntos por país) saltam a primeira passagem da final individual, em igualdade de condições com a pontuação anterior zerada. Os 20 melhores desta passagem voltam para a grande final à tarde. O resultado combinado das duas passagens definirá a colocação final no pódio individual com direito a desempate, se necessário. A primeira passagem começa as 10h e a segunda está marcada para as 13h30.
Com as fontes: CBH e MKT Mix Comunicação e fotos: COB – Washington Alves e FEI – Richard Juilliard

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui