Hipismo completo | Cross country está de volta ao CHSA

0
1950

O Clube Hípico de Santo Amaro com a mais completa infraestrutura para prática do esporte em seus 330 mil m² de área na zona sul de São Paulo está retomando a prática do cross country começando pela revitalização dos obstáculos, graças a uma iniciativa do cavaleiro e sócio Leonardo Vani Fernandes. Bicampeão brasileiro amador top 2018/2019 na modalidade Concurso Completo de Equitação (CCE), o Hipismo Completo, que reúne as modalidades adestramento, cross country e salto, Leonardo, o Leo, confeccionou e entregou sete obstáculos de obstáculos de cross já em uso no clube e outros sete chegam nos próximas dias vindos de sua fazenda no Estado do Rio de Janeiro. Veja uma seleção de vídeos postados no instagram @chsa_ofical

No início de 2020, Leo assumiu a diretoria de Hipismo Completo, recriada na gestão liderada por Alexandre Leonor, novo presidente do CHSA. Não é de hoje que Leo, 43, frequenta as pistas do CHSA. “Comecei a montar com 6 anos na Escola de Equitação do CHSA onde montei até os 9 anos de idade. Depois montava em São Paulo, mas competia no Hipismo Rural da ABHIR até os 14/15 anos. Voltei novamente para o hipismo clássico / salto no CHSA treinando com o Cesar Almeida. Aí veio a época da faculdade e como muitos parei de montar e voltei há 10 anos, em 2009, novamente competindo no Hipismo Completo.

Atualmente, Leo conta com três cavalos em treinamento no CHSA: Tiger Lu, com o qual garantiu os títulos paulista e brasileiro em 2028 e brasileiro 2019, El Guapo e Zurich Mystic Rose, que infelizmente acaba de lesionar. Já no interior paulista, no Clube do Cavalo em Colina, berço da modalidade no Estado, o cavaleiro mantém Positano, irmão de El Guapo, em treinamento. “Um cavalo de CCE precisa ser leve, ter força, agilidade e claro facilidade para modalidade. Se for muito pesado, a chance de “estourar” é maior”, explica Leo.

Leo com seu alazão El Guapo, em formação para as principais provas do hipismo completo

Com obstáculos inicialmente colocados na pista de grama que no passado era destinada ao polo, na trilha lateral do campo de polo, trilhas atrás da piscina e acima da Escola de Equitação, cavaleiros e amazonas do Salto também começam a usá-los. Andrea Muniz, amazona profissional top na modalidade Salto, está entre os adeptos. “Estou brincando um pouco nos obstáculos aqui e também no Exército em Colina com o Léo. Prova ainda não, mas não está descartado”, conta Andrea.

Galope largo é uma das características do hipismo completo

Em uma carta (íntegra abaixo), o presidente do CHSA Alexandre Leonor e vice-presidente Francisco Fortunato agradeceram a iniciativa e prometem todo o apoio. “Em nome dos sócios do Clube Hípico de Santo Amaro e comunidade hípica, queremos agradecer a sua inestimável e generosa colaboração com a doação dos obstáculos de cross-country. É um grande prazer tê-lo frente a nossa diretoria do Concurso Completo de Equitação, o Hipismo Completo, resgatando a possibilidade da prática da modalidade em nosso Clube. Juntos, graças a seu incentivo e empenho, não vamos medir esforços para que a modalidade prospere dentro do clube. A realização de provas show, concursos e a publicidade da modalidade para além de nossas portas estão entre nossas metas”, destacam os dirigentes.

O jovem talento do salto Paulo Miranda afirma: “com cavalo adequado também vou aproveitar os obstáculos do cross”

Nova geração e projetos

A jovem amazona santamarense Isabela Gomes Galvão Vieira de Moraes, 12, campeã brasileira e ranking brasileiro mini-mirim no Adestramento em 2019 e que também compete no Salto, também promete estrear na modalidade. “Para que a modalidade cresça, eu acho que é preciso investir na base. A Belinha mostra ter muito jeito, não tem medo e sai feliz após o treino”, destaca Léo.

Leo, Belinha Vieira de Moraes e Andrea Muniz a postos no campo do polo onde já tem quatro obstáculos de cross

“A nossa ideia é desenvolver o hipismo completo no clube e que todos possam aproveitar os obstáculos. No futuro também queremos criar obstáculos para os alunos da escola. O CHSA já foi palco de grandes campeonatos na modalidade. Então queremos voltar. A gente já ia organizar uma prova agora em junho, adiada devido a pandemia. Pensamos em fazer uma prova show formando uma equipe com alguém do adestramento, cross e salto. Mais para frente também trabalhamos com a possibilidade de trazer o Campeonato Paulista ou Brasileiro para Santo Amaro. É preciso investir mais nos obstáculos do cross, mas de resto o clube tem tudo com pistas de adestramento, salto… é só começar a desenvolver”, afirma Léo.


Além de Léo, o CHSA tem dois nomes de destaque na modalidade: o cavaleiro olímpico Marcio Appel e também Rick Candy, atualmente na Inglaterra. “O CHSA está aberto para quem quiser conhecer o nosso cross e, se precisar de alguma ajuda, estou a disposição, e certamente o Márcio Appel também não vai medir esforços para promover o cross em nosso clube”, finaliza o cavaleiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui