Código de conduta para o bem estar do cavalo

0
1027

A Diretoria ratifica o repúdio do CHSA aos maus tratos aos equinos.

Abaixo seguem práticas passíveis de penalização, validadas pela CBH, FPH, FEI e regulamento interno:

 

  • Chicotear ou bater em um cavalo de forma excessiva
  •  Submeter o animal à qualquer tipo de aparelho que provoque descarga elétrica
  •  Usar de maneira excessiva e/ou persistente as espora
  • Castigar exaustivamente a boca do cavalo com ações violentas e continuadas
  •  Montar ou tentar montar de novo um cavalo visivelmente esgotado, que esteja mancando ou ferido
  • Barrar um cavalo em qualquer local
  • Hipersensibilizar qualquer parte do cavalo
  • Utilizar qualquer peça de arreamento que possa ferir ou causar dor ao animal
  • Deixar um cavalo sem alimentação, água e exercícios adequados;

 

Abaixo o código de conduta da FEI para o bem estar do cavalo:

Em todos os estágios durante a preparação e o treinamento de cavalos de competição, o bem estar deve ter precedência sobre todas outras demandas. Isto inclui bons tratos e manuseio, métodos de treinamento, ferragem e arreamento e transporte.

Cavalos e competidores, antes de serem autorizados a competir, devem estar aptos, preparados e em bom estado de saúde. Isto inclui uso de medicação, procedimentos cirúrgicos que ameacem a segurança e o bem estar, prenhes em éguas e o mau uso de ajudas.

Os eventos não devem prejudicar o bem estar dos cavalos. Isto envolve uma atenção especial às áreas de competição, pisos, condições meteorológicas, estabulagem, segurança local e aptidão do cavalo para seguir sua viagem após o evento.

Todo esforço deve ser feito no sentido de assegurar que o cavalo receba a atenção apropriada após ter competido, e que tenham um tratamento compatível e merecido após o encerramento de sua carreia competitiva. Isto engloba cuidados veterinários adequados, ferimentos de competições, eutanásia e “aposentadoria”.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui